Entre os dias 05 e 08 de Dezembro de 2017 ocorreu o primeiro I FESTIVAL DE FILMES ARQUEOLÓGICOS DO RECIFE. A proposta do evento foi de ampliar o espaço para discussão e divulgação da produção científica na arqueologia e áreas afins, possibilitando um importante intercâmbio com diversos profissionais, pondo em evidência, sobretudo a produção nacional e internacional sobre as temáticas propostas.

O filme vencedor do festival foi Piragiba, escavacando uma história, documentário que estreou originalmente em 2014 (Confira o documentário completo no final da matéria), em segundo lugar temos Onde for sítio, há sítios, ambos produzidos pela equipe do Instituto Habilis. 

Sinopse: Por volta dos anos de 1970, uma grande cheia do riacho que passa pela vila de Piragiba faz surgir uma imensa quantidade de urnas funerárias indígenas antigas. Em 1992, uma equipe de arqueólogos da Universidade Federal da Bahia é acionada para examinar os achados. Surgem daí descobertas sobre a história da vila, sobre as antigas ocupações humanas na região, bem como sobre o cotidiano dos moradores de Piragiba. A proximidade dos trabalhos arqueológicos com o cotidiano da vila foi um dos desafios da pesquisa e um dos principais elementos da descoberta. Toda a vila foi transformada em um imenso palco de pesquisa arqueológica.

Direção: Luydy Fernandes & Anderson Silveira
Duração: 46:25min.

 

 

Onde for Sítio, há sitios - Parte 1

Apresenta um panorama dos grupos humanos que habitavam o Brasil antes da chegada do colonizador europeu. Destaca ainda o papel das pesquisas arqueológicas no cotidiano de uma comunidade em geral, bem como no contexto de Sítio do Mato (oeste baiano), em particular.

  

Dois filmes ainda receberam Menção Honrosa do Júri aos filmes por Relevância para o Campo, sendo ambos episódios especiais do canal Arqueologia em Ação, do YouTube. De acordo com o jurí “apesar de trazer um conteúdo importante, o formato de programa de entrevista de TV se distancia da linguagem técnica e artística de um filme documentário. Por não apresentar linguagem fluída com sonoplastia, fotografia, montagem e outros recursos audiovisuais, consideremos que, por sua relevância para o campo, deva receber Menção Honrosa os vídeos da série Arqueologia em Ação – Especial com Tânia Andrade Lima e Especial com Igor Chmyz.“
 
O canal Arqueologia em Ação realiza séries de videos, principalmente de entrevistas, que tem por objetivo difundir o conhecimento arqueológico para o grande público. O canal é mantido através do esforço dos voluntários, estudantes de arqueologia em sua maioria, que se organizam para realizar os vídeos. Nenhum dos voluntários possui grandes conhecimento técnicos de produção audiovisual, ou sequer equipamentos de boa qualidade. Portanto, o autor desta matéria, sendo também o coordenador da maioria das produções do canal Arqueologia em Ação, recebe estas menções honrosas com muita alegria, pois trata-se de um reconhecimento importante sobra a relevância dos nossos esforços.
 
Confira abaixo o sensacional documentário vencedor do festival. Mais abaixo você pode conferir, também, os dois episódios especiais do canal Arqueologia em Ação que receberam menção honrosa do júri.